• Campo - um podcast de antropologia

EP#2.1 - Audre Lorde

Atualizado: Fev 15


Audre Lorde: o silêncio não vai te proteger


Paula Lacerda, professora de Antropologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Carolina Parreiras, pesquisadora de pós-doutorado do Programa de Pós-graduação em Antropologia Social da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)


Para a poeta e ensaísta negra, feminista lésbica, mãe e paciente de câncer Audre Lorde, o silêncio não representa uma forma de proteção. Apesar de o medo ser companheiro das mulheres, segundo a autora, é preciso transformar o silêncio em linguagem e em ação. Em 1979, em Massachussets, nos Estados Unidos, Audre Lorde e Adrienne Rich conversaram durante três horas. O material editado foi publicado pela primeira vez na revista Signs, no verão de 1981, e posteriormente incluído na coletânea Sister Outsider, de 1982 [Tradução Brasileira de Stephanie Borges, Autêntica Editora, 2019]. Nessa entrevista, Audre Lorde conta que, no Departamento de Inglês no John Jay College, seus inimigos tentaram desacreditá-la entre os estudantes negros, contando para eles sobre sua sexualidade. Nas palavras da autora: “Eu sabia, como sempre soube, que o único jeito de impedir as pessoas de usarem quem você é contra você é ser honesta e se abrir primeiro, falar de si antes que falem de você”. Como resposta, Audre Lorde colou nas paredes do Departamento de Inglês “Love Poem”, um poema que narra uma relação sexual com outra mulher. Mais do que um ato de coragem, para Lorde, isso representou um mecanismo de defesa.


Poema de amor Diga terra e me abençoe com a coisa mais preciosa faça o céu tirar mel dos meus quadris rígidos como montanhas espalhadas por um vale esculpidas pela boca da chuva. E eu soube, quando a penetrei, que eu era vento forte nas florestas dela dedos vazios sussurrando o mel escorreu do canudo na taça empalada por um arpão de línguas na ponta dos peitos dela, do umbigo dela e minha respiração uivando nas reentrâncias dela através de pulmões sofridos. Gananciosa como uma gaivota ou uma criança eu rebolo sobre a terra muitas e muitas vezes.

Tradução de Adelaide Ivánova, disponível via: https://vodcabarata.blogspot.com/2016/12/love-poem-de-audre-lorde.html


Como citar esse post [ISO690/2010]:

LACERDA, P. e PARREIRAS, C. Audre Lorde: o silêncio não vai te proteger. [online]. CAMPO - um podcast de antropologia, 2021 [visto em .....]. Disponível em: https://www.podcastdeantropologia.com.br/post/ep-2-1-audre-lorde


Referência:


LORDE, Audre. Irmã Outsider: ensaios e conferências. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.


Filme:

Audre Lorde: the berlin years 1984-1992, Dagmar Schultz. Berlin: 2012. 79’.


Créditos:

Concepção, pesquisa e apresentação: Paula Lacerda

Edição, montagem e pesquisa: Carol Parreiras

Vinheta de transição 1: autoria de aswali, disponível em looperman.com

Vinheta de transição 2: autoria de harri, com pequena adaptação para o ep., disponível sob licença [CC], em freesound.org

Vinheta de abertura e encerramento: carloscarty, disponível sob licença [CC] em looperman.com


Acesse abaixo a transcrição deste episódio.


Audre Lorde
.pdf
Download PDF • 121KB

Posts recentes

Ver tudo

© 2020 por CAMPO - um podcast de Antropologia. Criado com Wix.com

  • Instagram ícone social
  • Twitter
  • Spotify ícone social